segunda-feira, 3 de agosto de 2009

DO TEMPO


Há o grande, o maior, o extenso, o enorme, o gigante, o de extraordinária grandeza, o imensurável e o TEMPO; Há o menor, o mínimo, o exíguo, o pequenino, o minúsculo, o microscópico, o infinitesimal e o TEMPO; Há o discernível, o perceptível, o evidente, o óbvio, o visível, o claro, o explícito, o insofismável e o TEMPO; Há o obscuro, o cinzento, o sombrio, o escuro, o atro, o pretume, o negror, a escuridão completa e o TEMPO; Há o duvidoso, o plausível, o discutível, o quase certo, o muito provável, o infalível, o incontestável e o TEMPO; Há o opaco, o claro, o translúcido, o diáfano, o transparente, o apenas distinguível, o invisível e o TEMPO; Há o pirilampo, a lamparina, a vela, a lâmpada, a claridade, o relâmpago, a luz do sol a explosão nuclear e o TEMPO; Há o limitado, o evidente, o imperioso, o subsistente por si só, o inquestionável, o absoluto e o TEMPO; Há o atrasado, o devagar, o lento, o demorado, o quase parado, o imóvel, o absolutamente congelado e o TEMPO; Há o ágil, o móvel, o ligeiro, o rápido, o célere, o velocíssimo, o raio, a velocidade da luz e o TEMPO; Há o hoje, o amanhã, o depois de amanhã, o semana que vem, o próximo ano, o futuramente, o nunca e o TEMPO; Há o simples, o elaborado, o emaranhado, o intrincado, o muito complicado, o diabolicamente complexo e o TEMPO; Há o fugaz, o breve, o sazonal, o contínuo, o perene, o quase perpétuo, o eterno e o TEMPO; Há o exeqüível, o realizável, o possível, o viável, o praticável, o quase compulsório, o obrigatório e o TEMPO; Há o trabalhoso, o oneroso, o árduo, o penoso, o dificultoso, o quase irrealizável, o impossível e o TEMPO; Há a unidade, a dezena, a centena, o milhar, a dezena de milhar, o bilhão, o trilhão, o infinito e o TEMPO; Há o usado, o velho, o arcaico, o antigo, o medieval, o pré-histórico, o paleolítico, o jurássico e o TEMPO; Há o próton, o nêutron, o elétron, o méson, o bárion, o fóton, o lépton, o tríton, o quark e o TEMPO; Há o substantivo, o adjetivo, a conjunção, o pronome, a interjeição, o artigo, o advérbio, o verbo e o TEMPO; Há o reino mineral, o vegetal, o animal, o fungi, o monera, o protista, o vírus, a ameba e o TEMPO; Há o Sol, Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno, Plutão, a Lua e o TEMPO; Há o planeta, o satélite, o asteróide, o meteorito, o cometa, o sistema solar, o quasar, a galáxia e o TEMPO; Há a guerra e a paz, o bem e o mal, a vida e a morte, o certo e o errado, superficial e o profundo, o real e o imaginário, o nada e o tudo e o TEMPO; Há o TEMPO. Somente o tempo É. JAIR, Floripa, 03/07/09.

9 comentários:

Jorge disse...

Há o tempero, o tempurá, o temporal, a têmpera, o temporão, a tempestade e o TEMPO. Parabéns pelo texto. Quem diria que essa entidade fugidia que a tudo permeia e que foge por entre os dedos daria azo para um quase-poema.

Graça Pereira disse...

O tempo, metereológicamente falando, é necessário|! O outro Tempo ´aquele que se encarrega de gerir a aritmética da subtracçao e da soma dos nomes,das palavras ,das vidas...já é mais dificil de encarar!Contudo, é com esse mesmo tempo que nos tornamos sábios, aprendendo com ele que nos tornamos velhos muito rápidamente e sabedores de tudo, demasiado tarde, precisamente quando já não temos tempo. Ah, o tempo é um tema que nunCA SE ESGOTA. Uma boa semana ...com tempo para tudo. Um bj Graça

KOTTA disse...

E fiz eu um texto sobre o tempo que leva o seu tempo a passar,porque o tempo não tem tempo. Abraço

Lu Cavichioli disse...

Olá, vim agradecer sua visita e adesão ao meu Escritos na Memória.

Aproveitei para ler e (quase)perder o fòlego, e nesse texto intenso e muito inteligente.
Sem contar que todas essas palavras entrelaçadas dá margem para escrever e escrever.
Muito bom, amigo!

abraços pra ti pra Floripa que eu adoro.

Luísa N. disse...

O tempo também é uma desculpa: "Não tive tempo", "Meu tempo é tão curto...", "Quando tiver um tempinho..." Mas o TEMPO, sábio como ele só, diz somente: "Não tenho passado nem futuro; só tenho este tempo que está passando... Portanto, aproveite enquanto é tempo! Faça do agora o tempo para o que tiver que ser feito!"
Um proveitoso tempo para você, amigo! Luísa

Mistérios, Magias ou Milagres. disse...

Seu pensar é maravilhoso, o tempo é grandioso. Parabéns.

Zezinho disse...

Quanta saudade. Olhando tua foto posso dizer que a inexorabilidade do tempo, não desfez o semblante sereno e calmo com o qual convivi por pouco tempo. Fico feliz em saber que gostas de cultura. O simples gosto pela escrita, revela um ser ligado às artes e deste grupo eu também faço parte, somente em outro seguimento que a música.

Augusto Ouriques Lopes disse...

Acho que para lidar com as grandes palavras como amor, vida, TEMPO a prosa deixa a desejar em comparação à poesia. Boa escolha!

Joel disse...

Jair, simplesmente maravilhoso este teu texto. Parabéns.

O TEMPO
A vida é o dever que trouxemos para fazer em casa / Quando se vê, ja são seis horas / Quando se vê, ja é sexta-feira / Quando se vê, ja é Natal / Quando se vê, ja terminou o ano / Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida / Quando se vê, passaram 50 anos / Agora é tarde demais para ser reprovado / Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio / Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inutil das horas / Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo / E tem mais: Não deixe de fazer algo de que gosta devido a falta de tempo / Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz / A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Mário Quintana