terça-feira, 13 de julho de 2010

A distância


Crônica da vida como ela é.

Um amigo meu, o qual em nome da longa amizade preservo a identidade, conservador como um mineiro d’antanho, mais tosco que escultura feita a machado, pai de duas exuberantes beldades, se viu na posição de conhecer o namorado da filha mais velha. Sabendo que o dito rapaz era campeão de jiu-jitsu de uma categoria respeitável, e, por isso, não via como encará-lo de forma a deixar claro quem era dono do terreiro; que sentia ciúmes e não permitiria qualquer avanço mais ousado em direção as virginais carnes de sua amada filha, lembrou-se que fora campeão de tiro num passado recente; e que jiu-jitsu é uma luta de contato.

Paramentou-se com as dezenas de condecorações e medalhas que detinha e, amedalhado, postou-se no sofá a espera do tal pretendente fortão. A filha, ao chegar, notou a parafernália e, meio constrangida com o mico, apresentou o namorado ao pai e vice-versa. Meu amigo, peito coalhado de comendas, postou-se a dois metros do lutador campeão e sentenciou: “Entre esta distância e qualquer outra maior eu acerto você, pense nisso”. JAIR, Floripa, 11/07/10.

10 comentários:

Anônimo disse...

Boa. Gostei. Algo de Stanislaw Ponte Preta no conto do causo.


Ass.Da terra do sol e dos terremotos

Leonel disse...

É, cada um se vira com as qualidades e armas que tem...
A tendência é de se tentar estabelecer um equilíbrio de forças!
Uma arte marcial também pode ser considerada como uma espécie de arma.
Mas, espero que o lutador e o atirador tenham tido o bom senso de não usar as suas para resolver questões de amor.

JAIRCLOPES disse...

Felizmente predominou a civilidade e meu amigo não chegou a usar suas habilidades de tiro contra o garotão que, de qualquer modo, é gente boa.

R. R. Barcellos disse...

- Futuros sogros e futuros genros têm três opções:
1. Efetivarem-se como sogro e genro (solução clássica);
2. Transformarem-se em ex-futuros (solução dramática);
3. Qualquer outra coisa (solução moderna).

Daniela disse...

Um acordo clássico de guerra!! Rsrsrs...

Adri disse...

Legendario!!!

Vanessa disse...

Essa história realmente é memorável, inesquecível! E muito bem recontada...parabéns!!! Esse acontecimento virou até lenda urbana por aqui!hahahaha...

Anônimo disse...

Filisteu,
Adorei, e me lembrei quando foi a casa de meu sogro pedir a mão desta santinha que me atura, o futuro sogrão me olhou de cima a baixo e so me disse uma frase, a qual eu nunca mais esqueci, que foi " lembra seu moço, eu sou um homem caborteiro".
Abração
Fabio

JAIRCLOPES disse...

Ainda que não saiba o que é "caborteiro", inferi que o futuro sogrão estava sutilmente intimidando o pretendente. Estou certo?

Anônimo disse...

Mais do que certo!! abração
Fabio