segunda-feira, 12 de julho de 2010

Sobre a Bíblia


Como escrevi algumas vezes, a Bíblia é um apanhado de crônicas produzidas por pessoas diversas em épocas distintas e sobre assuntos os mais variados. Não é um compêndio científico, tampouco histórico, serve apenas como referência de usos e costumes de povos que viveram num passado que, por coincidência, era antes, durante e algum tempo depois da vida de Jesus. Não costumo publicar produtos de outros autores, mas o texto abaixo está tão interessante que resolvi colocá-lo aqui. É do livro “Ostra feliz não faz pérola” de Rubem Alves. Espero que ele me perdoe por copiá-lo.

Consultório bíblico
“Laura Schlessinger é uma conhecida locutora de rádio nos Estados Unidos. Ela tem um desses programas interativos que dá respostas e conselhos aos ouvintes que a chamam ao telefone. Recentemente, perguntada sobre homossexualidade, a locutora disse que se tratava de uma abominação, pois assim a Bíblia afirma no livro de Levítico 18:22 . Um ouvinte escreveu-lhe então uma carta que vou transcrever: “Querida dra. Laura: Muito obrigado por se esforçar tanto para educar as pessoas segundo a Lei de Deus. Eu mesmo tenho aprendido muito em seu programa de rádio e desejo compartilhar meus conhecimentos com o maior número de pessoas possível. Por exemplo, quando alguém se põe a defender o estilo homossexual de vida, eu me limito a lembrar-lhe que o livro de Levítico, no capítulo 18, versículo 22, estabelece claramente que a homossexualidade é uma aberração. E ponto final... Mas, de qualquer forma, necessito de alguns conselhos adicionais de sua parte a respeito de outras leis bíblicas concretamente sobre a forma de cumpri-las:
Gostaria de vender minha filha como serva, tal como indica o livro de Êxodo, 21:7. Nos tempos que vivemos, na sua opinião, qual seria o preço adequado?
O livro de Levítico 25:44 estabelece que posso possuir escravos, tanto homens como mulheres, desde que sejam adquiridos de países vizinhos. Um amigo meu afirma que isso só se aplica aos mexicanos, mas não aos canadenses. Será que senhora poderia esclarecer esse ponto? Por que não posso possuir canadenses?
Sei que não estou autorizado a ter qualquer contato com mulher alguma no seu período de impureza menstrual (Lev. 18:19, 20:18 etc). O problema que se me coloca é o seguinte: como posso saber se as mulheres estão menstruadas ou não? Tenho tentado perguntar-lhes, mas muitas mulheres são tímidas e outras se sentem ofendidas.
Tenho um vizinho que insiste em trabalhar no sábado. O livro Êxodo 35:2 claramente estabelece que quem trabalha no sábado deve receber a pena de morte. Isso quer dizer que eu, pessoalmente, sou obrigado a matá-lo? Será que a senhora poderia, de alguma maneira, aliviar-me dessa obrigação aborrecida?
No livro de Levítico 21:18-21 está estabelecido que uma pessoa não poderá se aproximar do altar de Deus se tiver algum defeito na vista. Preciso confessar que eu necessito de óculos para ver. Minha acuidade visual tem de ser 100% para que eu me aproxime do altar de Deus? Será que se pode abrandar um pouco essa exigência?
A maioria de meus amigos homens tem o cabelo bem cortado, muito embora isto esteja claramente proibido em Levítico 19:27. Como é que eles devem morrer?
Eu sei, graças ao Levítico 11:6-8, que quem tocar a pele de um porco morto fica impuro. Acontece que adoro jogar futebol americano, cujas bolas são feitas de pele de porco. Será que será permitido continuar a jogar futebol americano se usar luvas?
Meu tio tem uma granja. Deixa de cumprir o que diz o Levítico 19:19, pois planta dois tipos de sementes no mesmo campo, e também deixa de cumprir a sua mulher, que usa roupas de dois tecidos diferentes, a saber, algodão e poliéster. Além disso, ela passa o dia proferindo blasfêmias e maldizendo. Será que é preciso levar a cabo o complicado procedimento de reunir todas as pessoas da vila para apedrejá-los? Não poderíamos adotar um procedimento mais simples, qual seja, o de queimá-los numa reunião privada, como se faz com um homem que dorme com sua sogra, ou uma mulher que dorme com seu sogro? (Levítico 20:14). Sei que senhora estudou esses assuntos com grande profundidade de forma que confio plenamente na sua ajuda. Obrigado de novo por recordar-nos que a Palavra de Deus é eterna e imutável””.

7 comentários:

Leonel disse...

O Levítico é um dos livros de Moisés, contendo uma série de instruções que o patriarca recebeu, segundo consta, diretamente do Senhor Deus de Israel.
Parece um espécie de mapro (manual de procedimentos), de tantas minúcias que contém sobre como agir em face de diversas situações.
Descreve até as roupas que um sacerdote deve usar diante do altar, como fazer oferendas e sacrifícios ao Senhor, como julgar e castigar os que cometem faltas, como lidar com determinadas doenças, que tipos de animais podem ser comidos e quais representam abominações, e uma infinidade de coisas deste gênero.
Coisas escritas especificamente para orientar pessoas que viviam há milhares de anos atrás, segundo normas religiosas rígidas que interferiam em tudo, até na forma de preparar os alimentos.
Querer conduzir sua vida numa sociedade aberta moderna seguindo tais regras é uma boa forma de viver em permanente atrito com o resto do mundo.
Na mesma coletânea de onde está este livro existem outros um pouco mais modernos, mais simples e menos radicais, que orientam sobre formas de se conviver em paz, mesmo com os que não adotam nossos conceitos sobre minúcias de práticas religiosas.
O bom relacionamento humano e o respeito pelos que compartilham conosco este grãozinho de areia solto na imensidão do espaço só pode ser benéfico para todos.

Ângela Coelho disse...

Que fanatismo louco!
Nesta época nem existem pessoas que levam os evangelhos tão ao pé da letra; ainda mais que nenhum evangelho é igual ao outro.A Bíblia, quando lida, deve ser interpretada.
Abraços.

R. R. Barcellos disse...

- O Levítico, assim como o Código de Hamurabi, foi a princípio uma compilação de desvios de conduta e das sanções já praticadas pela comunidade - uma espécie de "jus mores" escrito. Esses códigos tinham o mérito de trazer para o Estado a responsabilidade pelo julgamento e pelas sanções, evitando assim a prática da pura e simples vingança individual, que se perpetuava entre os clãs. Mas os tempos mudam, os costumes também e tem gente que não percebe isso...

Ruy disse...

Jair, oportuna e benvinda tua sacada de colocar esse texto em evidência, pois que cada vez mais vemos, no nosso dia-a-dia, o teológico tentando se sobrepor ao político e, por extensão, também nas coisas deste mundo que dizem unicamente aos homens. É de se pasmar, quando se percebe as entortadas de interpretação que fazem os mais diversos e abalizados dos “autorizados” por Deus, quando lhes interessa que uma parábola escrita há milênios — por alguém —, passe a valer com se fosse a palavra de Deus e, ao contrário, quando, não lhes parece adequada ao ponto de vista que presentemente defendem, simplesmente a descartam.



Abraço,

Ruy.

jefhcardoso disse...

Jair, eu não conhecia este texto, amigo. Estou entre rir e chorar. Bem, mas como sou mais dado às alegrias do que às tristezas, ficarei rindo mesmo. Fantástico do início ao fim, e bem mais ao meio. Essa coletânea de citações bíblicas foi algo compilado ao longo de um bom tempo, creio. Gosto desse tipo de trabalho. Ele se norteia por um rumo certo e o resultado deste, em especial, foi fantástico. Parabéns por sua escolha pelo texto e quanto à temática propriamente dita; quer saber o que penso? Penso que essa vida é tão curta para ficarmos tentando enquadrar a quem não está prejudicando ninguém. Deixemos quem é ser o que de fato é, e pronto.

Abraço do Jefhcardoso, que mais uma vez sai daqui muito feliz por ler coisa muito boa.
Rubem Alves é mesmo espetacular, Jair.

JAIRCLOPES disse...

Jef,
Obrigado pela visita e pelo comentário. Fico feliz em saber que você aprecia a obra de Rubem Alves e até o conhece pessoalmente. O que é bom devemos patilhar, daí eu ter reproduzido o texto dele. Abraços, JAIR.

Jose Guilherme Schossland disse...

Caro Jair
Em tempo: O uso e a restauração dos personagens bíblicos em sua originalidade pode ser compreendido em: www.antares.com.br/~uzulyao/onome01.htm bem como em seus demais elucidativos artigos e tópicos.
Saudações.