segunda-feira, 23 de abril de 2012

Livros

Já deixei claro muitas vezes neste pedaço que gosto de livros e sou leitor apaixonado. Hoje quero, mais uma vez, fazer apologia da leitura e também lembrar que o livro é uma fórmula mágica de aprendizado, é um pacote compacto de saberes que alguém compilou e publicou. Fernando Sabino contava que ele e alguns amigos escritores, em uma reunião literária, fizeram as seguintes perguntas: O que vale a pena ser lido? Que livros devemos ler e quais não? Pois é, segundo ele, depois de muita discussão chegaram à conclusão que todos os livros devem ser lidos.
Concordo plenamente com eles, livros bons ou ruins o mais das vezes são como gostar ou não gostar de certas comidas, por exemplo. Há quem goste de comer gafanhotos no oriente, há quem deteste peixe ou não goste de jaca como eu. Então como determinar o que é bom e o que é ruim? Não existe fórmula para gosto por comida nem definição de quando um livro é bom ou ruim, todos merecem ser lidos, uns em algum momento de nossas vidas, outros em outro momento. Livros que achávamos ótimos quando éramos crianças, hoje podem parecer verdadeiros xaropes. Livros que alguns gostam outros acham maçantes, enfadonhos, chatos, e por aí vai.
Então como ficamos? Ficamos lendo, pois é a maneira mais fácil de aprender e é extremamente gratificante. Hoje é dia do livro, então leiamos! JAIR, Floripa, 23/04/12

14 comentários:

Andre Martin disse...

livro = (eu) livro = eu liberto = liberdade

enquanto lemos, ficamos dependentes do livro, que nos liberta a mente da ou para a realidade

Zilda Santiago disse...

Amo ler,estudar mesmo.Amos meus livros,mas estou aprendendo a desapegar.Participei esta semana do bookcrossing e libertei três deles.Um perdi mesmo,e os outros dois doei.Foi bom.Participe.Ainda está rolando.Liberte livros para que outros os leiam também!!!!Neste o blog a postagem:http://carinhossorteiosetcetal.blogspot.com
Um pedido:Cancela esta verificação de palavras que ninguém merece,e conseguiu ficar pior.Agora são duas palavrinhas desenhadas e se errar começa td de novo...Ufa!!Haja tempo...

JAIRCLOPES disse...

Zilda,
Me liberto de meus livros sem dor de consciência. Faço doação de todos eles depois de lidos. A última doação foram 105 livros, agora tenho algumas dezenas aqui que vou doar. Já participei do bookcrossing só não acompanhei o resultado de minhas libertações.

Tais Luso disse...

É lendo que se aprende, que se cresce, que se conquista; que saímos da ignorância para um mundo mais aberto e de mais qualidade. O povo, através de sua cultura, de sua história, de sua economia é que pode fazer uma nação forte. Um país que incentiva a cultura, que cuida de suas crianças formará adultos mais capazes e mais felizes.

Abraços, jair.
Tais

espacoscep.blogspot.com disse...

Livro que representa o saber,
E que em suas silenciosas páginas
acolhe o precioso acervo cultural,
É devorado por uns,esquecido por outros.

A sua definição sobre a leitura está perfeita com as belas comparações!
Também leio e faço doação!

Abç!

elvira carvalho disse...

Já fui uma leitora compulsiva, mas hoje leio muito menos embora pense que não conseguiria viver sem livros.
Quanto ao tipo de livros tem razão. Comprei há tempos um livro "O inventor das lágrimas" de Luis Carmelo. Foi-me recomendado como um livro excelente. Nunca me custou tanto ler um livro e ainda não acabei, mas já li Raiz de Orvalho de Mia Couto pelo meio.
Um abraço

Cristiano Marcell disse...

É ler para crer!

Muita paz!

Zilani Célia disse...

OI JAIR !
TAMBÉM ADORO LIVROS.
E CONSIDERO ASSIM TAMBÉM, NÃO EXISTE LIVRO RUIM, EXISTEM MOMENTOS DIFERENTES NA VIDA.
ABRÇS

http://zilanicelia.blogspot.com.br/
Click AQUI

Luci Joelma disse...

Hoje,lendo emails redescobri que dia 23 de abril é o dia do livro, e pela TV , que hoje é dia de São Jorge.
De repente, esta conexão, olhos, ouvidos, os demais sentidos se interligam produzindo textos, verbalizando, enfim
ativando os neurônios e gerando movimentos...Lembro dos dizeres de Confúcio,se não estou enganada=
se escuto,esqueço; se eu vejo,lembro; se faço, aprendo.Então= o ouvir, o ler( ver) e o escrever produzem conhecimentos,
sentimentos, geram cultura etc. Feliz de quem partilha os seus saberes e constroem a civilização.
Aprendi mais uma expressão= " bookcrossing". Sejamos uma ponte, onde os livros transitem por nós até um novo destino...Luci.

Attico CHASSOT disse...

Meu caro Jair,
bem posta tua celebração trazendo a evocação do dia internacional do livro que ocorre na celebração da morte Shakespeare. Lembro que há exatos 10 anos comemorei esta data emocionado da Biblioteca de Alexandria.
Adiro aos que pedem que ao ‘blogue que pensa’ que deixemos de provar que não somos computadores. Para mim grito ‘gol’ quando acerto de primeira a decodificação das letra embaralhadas em duas indecifráveis palavras.
Com expectativa que nos ouças
attico chassot

Sissym disse...

O Blog que Pensa tem um autor que escreve muito bem.

Eu já livertei todos livros que já tive comigo, hoje a minha biblioteca tem somente 4 de estimação, incluindo um dicionario (sou maníaca por usa-los! rsss) e vários infantis.

Eu aprecio que me emprestem, eu curto e devolvo. Assim, vou reciclando a medida que tenho tempo para ler.

BEIJINHOS

**Escritora de Artes** disse...

Ler é preciso!

Saudaçoes

Professor Alexandre disse...

Ler um bom livro é como ter uma boa conversa com um pensador, independente de época em que viveu...
Parabéns pela postagem!

Abraços...

Joel disse...

Jair. Ao contrário de você e da sua leitora Zilda Santiago, ainda não aprendi a me desfazer dos meus livros. Gosto de pegá-los, limpá-los, cheirá-los etc. As vezes separo todos por temas, depois de alguns meses arrumo em ordem alfabética, passado mais algum tempo coloco-os separando as primeiras edições ou literatura brasileira separada das estrageiras e assim vou fazendo pq além de ler, gosto tbm de manuseá-los. Dos muitos que tenho mais de cem me foram doados por vc a quem novamente agradeço. Quanto a livros bons ou ruins, depende do estado de espírito que se está no momento em que se lê. Lembro que li "Os Meninos do Brasil" (Ira Levin) em dois dias pq queria ver logo o final e quando li "Negras Raizes" (Alex Haley) demorei o máximo que pude porquê queria saborear ao máximo cada uma das palavras. Por outro lado se "Odissía" (Homero) não cheguei nem na metade, "Sagarana" (Guimarães Rosa) ja li tres vezes. É isso meu amigo. Abraços de com força.
Joel