quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Bóson de Higgs




O inglês Peter Higgs, em 1964, apresentou uma teoria afirmando que o espaço é permeado por um tipo de campo que influencia as partículas, e por trás desse campo está seu bóson. Tal bóson foi alcunhado de partícula de Deus. Alguns físicos teóricos cogitam que essa partícula elementar era o que faltava para explicar a formação do Universo através da união das teorias das quatro forças que dão origem à mecânica universal, a saber: atrações nucleares forte e fraca, magnetismo e gravidade. É interessante notar que antes da descoberta desse bóson, Einstein passou os últimos anos de sua vida procurando em vão a interação dessas quatro forças, desenvolvendo uma teoria a qual deu o nome teoria de tudo. Foi o período menos criativo da mente daquele gênio, e os cientistas que perseguem essa idéia são chamados unionistas, porque querem unir equações das quatro forças em uma só que explicaria tudo. Milhares de experimentos e observações, cálculos aparatosos que ocupam infinitos nano baites de supercomputadores e trilhões de neurônios das cabeças mais privilegiadas do Planeta, estão à caça dessa “coisa” que seria tudo ao mesmo tempo em que é nada. O Super Colisor de Hádrons foi construído visando detectar traços desse fugidio substrato de pó de cocô de micro vírus, e até agora nada.

Obviamente, apenas uns poucos habitantes do Planeta estão habilitados a falar sobre ou entendem essa fugaz “entidade” cuja existência foi apenas calculada matematicamente e cujo comportamento, parece, influi na criação e extinção das demais subpartículas atômicas e, por tabela, determinou a criação do universo. E, claro, não estou incluído nessa diminuta confraria. Não sou uma das poucas pessoas que podem escrever sobre ele, contudo, sou uma das bilhões aptas a falar de outras coisas diferentes do bóson de Higgs.

Posto isso, vejamos o que pode interessar para a imensa maioria da humanidade o esforço bilionário de recursos materiais e intelectuais que se despende em torno de uma coisa cuja existência, se formos bem magnânimos, se formos extremamente liberais, pode ser comparada com a existência da alma humana. O bóson é tão real quando a alma o é, e, a despeito da prova matemática, repito, só uns poucos escolhidos dentro de uma elite diminuta, acreditam na sua realidade, o resto da humanidade se tiver algum interesse nele pode aceitá-lo por motivo de fé, simplesmente. Não há qualquer resquício de possibilidade que nalgum futuro remotamente previsível, essa coisinha invisível sem massa, sem espectro, sem teor e sem sabor venha a fazer parte das conversas de botequim; venha se constituir em tema de escola de samba; venha batizar com seu nome time de futebol varzeano; ou que adentre os lares das pessoas onde serão discutidas suas propriedades e o quanto estas trouxeram de benefício para as pessoas comuns, e o quando a vida no Planeta seria diferente se nada soubéssemos sobre ele. O bóson, a rigor, não cheira nem fede para o resto da humanidade, se ele for detectado pelo Grande Colisor de Hádrons ou for definitivamente descartado, nós, pessoas comuns, nem de longe sofreremos qualquer modificação na nossa vidinha corriqueira. O bóson é o próprio sexo dos anjos.

Vejam bem, não sou contra que se pesquise sobre essa partícula, tampouco partilho a opinião que os recursos empregados nessa busca seriam mais bem destinados na cura do câncer ou na compra de iates e mansões para gente sem poder econômico para fazê-lo, quero apenas registrar minha impressão e meu assombro, nunca na história da humanidade se investiu tanto em onirismo científico deslumbrado. Abraços, JAIR, Floripa, 25/08/10.


7 comentários:

J. Carlos disse...

Que coisa ein! A ciência fica correndo atrás de uma coisinha que nem sabe se existe. Mas, se queremos compreeender como o universo funciona acho que tem que ser assim mesmo. Quem sabe daqui a cem, duzentos anos esse bozinho acaba trazendo algo de bom para a humanidade! Abraços e continue dando suas opiniões, porque são muito interessantes.

J. Muraro disse...

Fico aqui imaginando: Bóson de Higgs Futebol Clube, seria um bom nome para nosso time de peladas de sábado a tarde. Vou sugerir para a turma, talvez corra o risco de ser expulso do time e até banido do bairro, mas que é um bom nome, isso é!

R. R. Barcellos disse...

- A história da Ciência está repleta de experimentos que deram resultados contrários aos esperados. Michelson e Morley, tentando pesquisar as propriedades do "éter cósmico", conduziram uma experiência caríssima que provou a inexistência do mesmo... mas mesmo assim o experimento rendeu frutos valiosos. Parece-me que as pesquisas do CERN estão indo nesse mesmo caminho. Há de sobrar alguma coisa que se aproveite...

Pedro Mendes disse...

A teoria de Bolsón é realmente estranha a uma pessoa que a encontra pela primeira vez, porém temos que lembrar que, conforme citado no texto, Até Einstein,quando estava elaborando teses para o surgimento da física quântica, já suspeitava de tal elo entre as quatro forças do universo, porém Higgs foi extremamente inteligente, até fora da escala humana para bolar uma teoria como esta, não estou falando que acredito em suas teses, precisamos ter provas, oque é uma coisa difícil para uma matéria “não matéria”.
Se lembrarmos de nosso tempo na escola, onde aprendemos que os átomos eram divisíveis apenas entre prótons, elétrons e neutros. Hoje já sabemos que não é bem assim, que cada uma dessas partículas podem ser divididas em “nano-partículas” essas chamas Quarks.
A ciência definitivamente esta mudando, estamos em um período de aprofundamento de teorias passadas, acredito que estamos alcançando o ápice da tecnologia humana terrestre (claro que temos muitas coisas ainda, como cura para nossas doenças e conhecer profundamente o nosso planeta, sabemos mais sobre a lua de que nossos oceanos!), temos cientistas em praticamente todos os ramos existentes, mas para desvendar de onde viemos, como surgiu o universo, e principalmente para aonde vamos, iremos levar anos, décadas, e porque não séculos?

Leonel disse...

Jair, eu compartilho algumas de suas idéias.
Quando eu li sobre Einstein, o texto dizia que essa união das quatro forças seria chamada de teoria do campo unificado.
Para provar a existência ou não do tal Bóson de Higgs, pode levar muito tempo. Achar uma forma de aplicar este conhecimento deve levar talvez mais tempo ainda.
Enfim, os cientistas às vezes perseguem o conhecimento das coisas não pelo que elas possam representar como utilidade, mas para satisfazer sua curiosidade ou comprovar suas teorias.
O que me surpreende é que haja financiamento para certas pesquisas que além de não apresentarem perspectvas de retorno, parecem estar bem além do alcance atual da ciência.

Sergio disse...

Sabias que és um dos meus amig@s? Venho agradecer-te por existires e seres um del@s...! Se vais ao meu blog saberás a que me refiro... e se queres levas contigo o regalo que, com muito carinho, está pensado para pessoas como tu...!
Mereces mais..., mas é o melhor que posso dar-te hoje... És um presente para mim... E é o que eu posso oferecer-te, hoje, a ti... El Puente

Um abraço.

Sergio

Anônimo disse...

Quanta estupidez!Não sei quanto ao mundo de vcs , mas o meu esta recheado dessas possibilidades,sou da área.Essa descoberta modifica, une, abre um leque de possibilidades absurdas:Imagina descobrir de onde vem a massa de tudo...

ah! se vcs soubessem , do que estou falando.