domingo, 13 de setembro de 2009

MORTE


Ao longo da existência, digamos no processo de adquirir maturidade, nos tornamos conscientes da morte, do fato que as pessoas que conhecemos e amamos morrem; e do fato que algum dia nós também morreremos. Contudo, nossa cultura judaico-cristã não nos facilita essa tomada de consciência, para todos os efeitos somos imortais, a morte é evento fortuito que atinge apenas os outros. Enquanto isso, de modo que entendemos apenas escassamente, se é que entendemos alguma coisa, abraçamos identidades e a ilusão de auto-suficiência. Chamamos de busca da felicidade os caminhos que adotamos e os rumos que seguimos e que preenchem nossos sonhos, metas e anseios. Buscamos atividades, tanto construtivas como negativas, com as quais esperamos nos elevar acima dos fatos da vida comum e que talvez permaneçam depois que nos tivermos extinguido. Fazemos isso num esforço desesperado contra a certeza de que a morte é nosso destino final. Muitos buscam o poder e a riqueza, outros, o amor romântico, a fama, o prazer, o sexo, ou as conquistas esportivas: sou o mais forte, o mais rápido, o mais sábio, o melhor. Para quase todos, suas obras e feitos durante a vida lhes garantem reconhecimento e boas lembranças depois de mortos. Quer sejamos bem-sucedidos ou fracassemos, de qualquer modo vamos morrer, todos teremos o mesmo fim. O único consolo, certamente, é acreditar que, já que somos criaturas, deve haver um criador que gosta de nós e o qual nos receberá quando morrermos. As religiões, de um modo geral, tentam explicar que morte não é contrário de vida, é um rito de passagem, uma espécie de portal daqui para lá, e que o fim da matéria significa o início da vida eterna a qual realmente interessa; do início de um ciclo eterno de bem aventurança, de prazer elevadíssimo e sem limites. Desse modo, a inevitabilidade da morte é amenizada já que depois dela nos espera algo melhor, assim, o viver, ainda que extremamente doloroso para alguns, torna-se apenas a passagem, a via de acesso para a verdadeira glória que é vida após a morte. Eufemismo que suaviza a irrevogabilidade da morte eterna, esta sim inquestionável e definitiva. JAIR, Floripa, 07/09/09.

5 comentários:

Ângela Coelho disse...

Jair! Muito boa tua postagem
mas não concordo na totalidade com ela.
Como sou espírita acredito que estamos aqui para nos aperfeiçoarmos e pagarmos dívidas de outras vidas; a vida eterna só pode ser usufruída depois de chegarmos a nossa perfeição espiritual. Estamos sempre estudando para alcançarmos a nossa meta.
Beijos no teu coração.

Jorge disse...

Tema bastante incomum a ser abordado por escritores, principalmente em blogs de qualquer natureza. Entretanto, além de ser assunto interessante, foi bem escrito e proporcionou ao leitor uma visão extraordinária de como a MORTE pode ser vista. Não costumo elogiar se não estou absolutamente convencido da qualidade do texto, neste caso, PARABÉNS com louvor.

Beth disse...

Jair,
Quando vi a caveira que ilustra o texto, pensei que se tratava de alguma opinião mórbida, no entanto, o que li mostra uma lucidez de ideias e maestria nas palavras que, só não surpreendeu porque já li outros posts seus e sei que escreve bem e com elegância.

Alma inquieta disse...

Jair,

mais uma vez parabéns pelo artigo de reflexão.
É um tema que me apaixona, embora ultimamente prefiro distanciar-me dele por circunstâncias pessoais..., pois tenho o meu sogro muito doente com cancer e, como deve calcular, neste momento, é um assunto muito doloroso para mim..., pois estou muito ligada e ele.
De qualquer forma não podia deixar de ler o que escreve, que é sempre do meu agrado, mas hoje os meus comentários ficam por aqui..., desculpe...

Um beijo.

Adri disse...

Concordo que a Morte é um assunto que a cultura brasileira nao sente confortavel em discutir, é aquele esqueleto no armario que todos sabemos que um dia chegara nossa vez, mas preferimos ignorar-la, mas como sou parte australiano, fico numa posicao indiferente.... Algumas culturas, religioes, e grupos sociais "aceitam" a morte como uma parte essencial na vida de todos nos.... Acho que todos nos temos esperancas de uma experiencia eterna melhor apos a vida.... Minha opiniao, seria, aceite a morte como o fim do que sabemos e conhecemos, e sabendo disso acentue a vida... Faca de hoje o melhor dia da vida, e o amanha ainda melhor que hoje.... Nossa vida seria a unica coisa no mundo que temos controle total sobre....
E a morte.... bem.... nao sei de ninguem que tenha experiencia com ela....