sábado, 12 de setembro de 2009

FIO CONDUTOR



Seja na imensidão do cosmos onde todos os astros são regulados e mantém o equilíbrio de suas órbitas rigorosas, como um relógio formidável, a despeito das imperiosas forças, - como ventos estelares, campos magnéticos e a espantosa gravidade - que, em constante interação umas com as outras e, como para provar a teoria, os puxam e empurram na direção do caos; ou seja no íntimo da matéria, no interior das partículas que a compõe, onde as regras são seguidas em perfeita consonância com o como e o porquê daquela física ou química que determina a forma, a cor, o peso e a densidade do objeto, está presente um fenômeno de ação constante que determina e permite essas manifestações. O ajuste perfeito integrado à matéria em todos os níveis; as leis invisíveis que regem os movimentos e o equilíbrio estático de todos os objetos; a luz que emana das fontes naturais; e a percepção que tudo está no universo cumprindo perfeitamente algum fim, - embora este nos escape à compreensão o mais das vezes, - são prova cabal e insofismável que existe algo presente, que permeia o íntimo de todas as criações, e até mesmo o “vazio” das regiões cósmicas não ocupadas por galáxias. A ciência, na sua erudita ignorância, concorda que existe uma ligação entre todos os eventos da natureza, façam eles parte do macro ou do micro cosmos. Algo assim como um “fio de Ariadne” transcendental que une os eventos não só na sua singularidade, mas também na sua gênese: o que mantém a máquina cósmica funcionando e o âmago das partículas de matéria coeso seria o FIO CONDUTOR universal que nós conhecemos por TEMPO. Insofismável e misterioso TEMPO, este imparcial juiz de sentenças irrecorríveis. JAIR, Floripa, 27/08/09.

3 comentários:

J. Muraro disse...

"...FIO CONDUTOR universal que nós conhecemos por TEMPO. Insofismável e misterioso TEMPO, este imparcial juiz de sentenças irrecorríveis." Belíssimo trecho, quase poético, que fecha com chave de ouro o texto másculo e competente sobre esse misterioso e onipotente TEMPO. Parabéns.

Alma inquieta disse...

Olá Jair,

excelente texto!
As leis invisíveis que regem os movimentos e o equilíbrio estático de todos os objetos; a luz que emana das fontes naturais; e a percepção que tudo está no universo cumprindo perfeitamente algum fim!
Pena que, muitas vezes, o Ser Humano nasce e morre sem descobrir o fim para que foi Criado!

Um beijo.

J. Carlos disse...

Não é para elogiar não, mas os textos sobre o tempo estão supimpas, além de serem bastante originais.