quinta-feira, 30 de abril de 2009

O VIRA-LATAS


Texto retirado pelo autor devido a erro involuntário. O autor pede desculpas a Alessando Martins autor de texto anterior sobre mesmo assunto publicado em: http://www.cracatoa.com.br/cachorro-vira-lata-um-ser-especial

9 comentários:

Ruy disse...

Bão, Jair, se nosso velho pai , “seo” Ananias, estivesse vivo hoje, dia 30/04, estaria aniversariando. E também a nossa qãoxorrinha basselata, a Xixa — alcunhada XAXIXA —, faria níver nesta mesma data (vinte e um anos!). No campus da UFF, no Gragoatá, onde estudo nesses últimos seis anos, conheci e travei conhecimento com vários vira-latas que vivem por lá. Eles, os vira-latas são como que adotados pelos alunos, mas nem todos gostam deles, alguns até os repelem por medo, nojo, cagaço ou pura frescura, mas os guardas das guaritas da entrada do campus são os verdadeiros “pais” desses vira-latas, pois eles, os vira-latas, os seguem por todos os lados. Acho que essa afeição viralateana se deve a que os guardas são os provedores do rango cachorral, ou seja, as sobras do bandejão são por eles coletadas e servidas duas vezes ao dia aos ditos kãoxorros. Percebi que há uma hierarquia entre os caninos e quando nasce uma nova ninhada, logo um dos mais espertos é como que adotado pelo kão alpha e daí passa a ser respeitado pelos demais, que são muitos. Enfim, eu também invejo a vida viralateana, pois são bixos que não se abatem por qualquer kousa e sabem se virar em situações difíceis. Achei que você marcou um golaço escrevendo esse texticulozinho, que louva merecidamente esse “nobre” representante da raça canina.
Grande abraço, Ruy, o H de J.

Anônimo disse...

Gostei "pacas".
Abração
CB.Fabio

Ruy disse...

Jair, boa ideia vc ter postado o praieiro Vira-Latas pelo-de-arame, Faísca, como “cabeça de chave” do teu blog. Espero que ele esteja usufruindo de merecido repouso no Vale dos Guapecas Espertos, sob a proteção da Grande Lontra que Habita os Céus.
Abração,
Ruy.

Anônimo disse...

E ai Jair! O cachorro "vira lata" tão comum no nosso cotidiano agitado da vida urbana, muitas vezes nos passa desapercebido, mas como vc relatou tão brilhantemente, ele é um favorecido genéticamente, vive nas condições mais adversas e mesmo assim são cada vez mais numerosos nos espaços urbanos, tamanha sua resistência.Eu também queria ser um "vira lata".Abraços Jair e muito sucesso e novos conhecimentos nessa sua nova e antiga empreitada.Beto!

Joel disse...

Jair, os Vira-Latas estiveram sempre presentes na minha vida. Entre outros tive um chamado Dunga que morreu bem velho e do qual tenho muita saudade. Uma vez escrevi um conto chamado "Nós, Os Vira-Latas" onde os personagens eram cahorros de rua cujos nomes eram Edu, Mané, Zulu e outros, à nós muito familiares. Lembra de "O Suspeitoso Conto Sobre Um Certo Jogo de Sinuca", conto do tipo literatura fantástica que escrevi tendo como personagens principais um Vira-Latas chamado Urso e um Capitão da Aeronáutica? Pois é. Depois disso quase fui deserdado pelas nossas irmãs. Também, quem mandou dar nomes de irmãs e primas para personagens prostitutas?
Abraços, Joel.

Anônimo disse...

Parece que o homem insiste em desafiar a natureza, para ver no que vai dar!
Já estamos seguindo seu blog no blogspot, pelo www.almanakutbrasil.blogspot.com

Parabéns!

Alessandro Martins disse...

Você copiou trechos daqui, certo: http://www.cracatoa.com.br/cachorro-vira-lata-um-ser-especial/

É mais bonito quando a gente dá o crédito.

Abraços!

JAIRCLOPES disse...

Quero dizer que li muito sobre vira-latas e condensei o que entendi dos textos. Não coloquei trechos lidos de propósito no meu blogue. Possivelmente ocorreu algum plágio involuntário pelo qual peço desculpas. Não era minha intensão "copiar" qualquer coisa que você tenha escrito, mas, convenhamos, se acabei escrevendo quase a mesma coisa que você é porque teu texto tem qualidade e me impressionou favoravelmente, de modo que, inconsciente, acabei "colando" algum trecho sem lhe dar o devido crédito. Depois que você ler esta explicação vou retirar o post de me blogue. Abraços e desculpe, JAIR.

Alessandro Martins disse...

Pode manter, Jair. Apenas dê o crédito e - usando o bloquote ou aspas - mantenha o texto sem modificá-lo. Obrigado.